» Descupinização  
     
     
 

Os problemas com cupins vêm crescendo e causando prejuízos cada vez maiores em diversas áreas urbanas do Brasil e do mundo. Provavelmente, o impacto ambiental provocado pelo processo de urbanização e auto plasticidade biológica dos cupins tem contribuído para este aumento. Devido ao fato de ser uma infestação silenciosa, e somente verificarmos os danos causados quando já está avançado o processo, os cupins comprometem o patrimônio das instituições de forma irremediável. Um simples local infestado por uma colônia de cupins poderá em poucos anos comprometer todo o prédio e instalações, levando a custos altíssimos. A amplitude e complexidade dos problemas com esta praga exigem que o controle seja desenvolvido de forma rigorosa, cumprindo um conjunto de etapas que nos permitem compreender o problema e planejar as ações necessárias para reverter a situação.

       
Espécies Comuns
       

Cupim de Solo ou Subterrâneo

Cupim de Madeira
Seca

Brocas de Madeira

 
       
Controle

É considerada a praga de maior dificuldade de controle por suas características biológicas, por agirem silenciosamente e adaptarem-se melhor as construções e edificações nas áreas urbanas. O trabalho de inspeção e monitoramento torna-se dificultoso, exigindo profissionais altamente preparados e especializados para a realização do controle dessa espécie através das técnicas de “Manejo Integrado de Pragas”(MIP).


Soluções

Utilizamos produtos e tecnologias de ponta no combate aos cupins. De acordo com a espécie infestante, a YOKADA disponibiliza para você desde tratamentos convencionais tais como tratamentos localizados em madeiramentos, bem como tratamentos do solo com barreiras químicas.


Generalidades

Estes insetos estão presentes no mundo inteiro, com maior incidência entre os trópicos. São descritas aproximadamente 2500 espécies. Pertencem as ordens isoptera. Predominantes xilófagos e são Insetos eusociais, podendo ter em suas colônias milhões de indivíduos. Dentre as várias espécies caracterizadas como pragas urbanas, existem os cupins subterrâneos e os de madeira seca. Nas espécies que constróem seus ninhos no solo ou edificações chamadas núcleos ou sub-núcleos. Podemos destacar: Coptotermes Gestroi ou Havilandi, Nasutitermes spp, Heterotermes tenuis, Rhinotermes spp, Reticulitermes spp entre outras espécies. Já os que constróem seus ninhos dentro da própria madeira atacada, são comumente encontradas as espécies: Cryptotermes Brevis, Cryptotermes Havilandi e Cryptotermes Dudleyi, cujas colônias são formadas por poucos indivíduos.


Biologia e Hábitos

Esta praga possui sua estrutura social formada por reis, rainhas, operários, soldados e alados. Onde os indivíduos têm a função de proteção e trabalho, enquanto o resto da colônia tem como objetivo a reprodução e perpetuação da espécie. Obs.: Menos a Broca, ela age isoladamente.

Uma vez por ano ocorre o vôo nupcial, denominado revoada, e são chamados de “Siriris” ou “Aleluias”. Normalmente ocorre no início da Primavera, período este que existe grande umidade no ar. Sendo visível normalmente entre as 17:00 e 20:00 horas. Após as revoadas são formados novos casais reais que darão origem a novas colônias aumentando a infestação e intensificando os prejuízos no patrimônio atacado.

Inicialmente constroem pequenos ninhos à medida que o número de indivíduos cresce a demanda por alimento aumenta, começa a construir micro túneis denominados ramificações para deslocamento e proteção da espécie em busca da celulose. Uma colônia com aproximadamente três milhões de indivíduos, pode consumir diariamente 360g de material celulósico em média. Essa colônia pode causar rapidamente em três meses danos estruturais irreversíveis em edificações nas áreas urbanas. Dano este não só em madeiramento, mas, também causados a sistemas elétricos industriais, destruição de patrimônios históricos, acervos bibliográficos, molduras de gesso, caracterizando um ataque insidioso.